Archive for the ‘1º Ano’ Category

Adorei esse vídeo sobre Roma Antiga, é um resumo muito fácil da matéria que vamos estudar nas turmas de 1º Ano.

http://ler.vc/sc8q6h

Não deixem de assistir!

Advertisements

Os alunos do 1º Ano, que estão estudando a Antiguidade Oriental, podem complementar os estudos assistindo alguns vídeos no YouTube. A série Grandes Civilizações traz episódios sobre os Povos da Mesopotâmia (exibidos em sala), os Persas e os Hebreus. Além disso, você pode assistir às aulas do Novo Telecurso, todas disponíveis e ver como outros professores tratam desse assunto, pesquisando diversas vídeo-aulas. Aproveitar bem os recursos da internet pode ser um grande passo para sua independência intelectual!

1. Grandes Civilizações:  Mesopotâmia.

2. Grandes Civilizações: Os Persas.

3. Teleaula n. 6: Fenícios e Hebreus.

4. Vídeo-aula, Prof. Rodolfo Neves: Antiguidade Oriental.

Para encerrar nossa matéria sobre Pré-História, aceitei a sugestão da nossa supervisora do vespertino, Nayra Pipet, e organizei um trabalho sobre Arte Rupestre para expor na escola. Vamos usar a criatividade, aliando História e Artes, para pintar como nossos ancestrais. Urucum e pó de café serão os materiais para produzirmos as tintas das nossas pinturas. Para os interessados, os vídeos abaixo ensinam a fazer as tintas e o site da Revista Nova Escola traz dicas importantes. Aguardem as novidades em sala! =)

Finalmente o material de pré-História do Brasil ficou pronto! Pessoal, seria muito legal se eu pudesse organizar uns slides sobre o assunto, porque tem muitos vasos, cerâmicas lindas… Infelizmente agora não tá dando. Eu coloquei umas imagens no material de apoio (download clicando na imagem abaixo), mas você pode continuar seus estudos nos links sugeridos. Mãos à obra!

DownloadDropbox

Links sugeridos

Passei Web. A Pré-História do Brasil.
InfoEscola. Arte Marajoara.
Catálogo da Arte Marajoara. Em PDF. Se tiver preguiça de ler, veja as últimas páginas. Maravilhoso!
Cerâmica marajoara.
Arte marajoara.
Fundação Esperança. Santarém, PA.
Simbologia e Arte nas culturas marajoara e tapajônica.
Louçaria Tapajônica.
Slides sobre cerâmica tapajônica.
Povos Indígenas Brasileiros até a atualidade.

Superinteressante

Encontrei agora, quase por acaso, uma reportagem da Revista Superinteressante que tem muito a ver com o que vimos em sala sobre a origem do homem. Nós teríamos, afinal, evoluído do macaco? O evolucionismo afirma que o homem veio do macaco? Foi isso o que Darwin e outros cientistas defenderam? Na resposta a todas essas perguntas, a revista concorda com as ideias que ensinei em nossas aulas. Para acessar o site da Superinteressante, é só clicar na imagem acima.

Se Charles Darwin visse alguém usar sua Teoria da Evolução para afirmar que seres humanos são descendentes de macacos, certamente morreria de raiva. Ele jamais disse isso. Embora chimpanzés e gorilas modernos lembrem bastante as criaturas que deram origem ao homem, nenhum deles é nosso ancestral. Mas temos com esses bichos, isto sim, um antepassado em comum, que viveu há mais de 6 milhões de anos em algum lugar da África. Se pudéssemos ressuscitá-lo, a criatura seguramente se pareceria com um macaco — afinal, ela também foi uma espécie de primata. Mas teria detalhes anatômicos que não existem em nenhum animal que conhecemos hoje.

O conceito equivocado de que “viemos dos macacos” tem origem na ideia mais equivocada ainda de que a evolução é um processo linear, no qual novas espécies vão substituindo outras. Ora, os humanos não substituíram chimpanzés, gorilas ou orangotangos. Esses animais estão por aí, dividindo o planeta conosco. O que ocorreu é que nosso ancestral comum – aquele, que viveu em solo africano há pelo menos 6 milhões de anos – acabou dando origem a duas linhagens distintas (provavelmente em virtude de mudanças climáticas e outros fatores ambientais). Uma delas seguiu a trilha evolutiva que resultaria nos macacos de hoje. A outra, contudo, percorreu um caminho diferente, até chegar ao homem moderno. Ou seja: somos primatas, sim, tanto quanto os chimpanzés. Até nossos genes são quase os mesmos, 90% iguais. Mas isso não quer dizer que sejamos a evolução da Chita! Tivemos um antepassado em comum, só isso.

O assunto megafauna chama muito a atenção dos alunos – e não é para menos, já que é impressionante saber que esses animais gigantes viveram em nosso continente. Então, resolvi buscar mais informações para complementar nosso conhecimento. O Atlas Virtual da Pré-História traz um índice inteiro de animais do Pleistoceno que você pode consultar. Abaixo, separei alguns que viveram na América do Sul.

1. Preguiça gigante (Megatherium americanum).

Vários fósseis do Megatherium já foram encontrados no Brasil, como você pode ver nos vídeos do último post. Como ele era herbívoro, passava o dia inteiro comendo folhas de árvores e arbustos para sustentar seu corpo enorme de 4 toneladas. Apesar de ser um animal pacífico, não devia ser fácil caçar um Megatherium, porque com certeza ele era muito forte e suas garras faziam um bom estrago nos adversários. Ele foi extinto no final do Pleistoceno – em parte por causa da mudança climática, em parte por causa da caça.

Megatherium

Abaixo, uma foto minha tentando abraçar a réplica de um fóssil de preguiça gigante em exposição permanente no Museu Nacional da UFRJ, no Rio de Janeiro.

IMG_0978

2. Tigre Dentes de Sabre Sul Americano (Smilidon populator)

O primeiro fóssil do Smilidon foi encontrado pelo dinamarquês Peter Lund em Lagoa Santa, Minas Gerais, em 1842. Esse felino podia pesar até 400Kg e possuía caninos enormes de quase 30cm, que certamente o auxiliava na caça. Sua musculatura não se assemelha à dos tigres atuais, sendo comparada apenas à dos nossos ursos. Para sua potente mordida, sua boca chegava a se abrir em até 120°! Os Smilidon viviam em bandos, aparentemente ajudando uns aos outros – já foram encontrados fósseis com pernas feridas, sugerindo que o animal ficou um tempo sem poder caçar, sendo alimentado pelo bando.

Smilidon populator

Abaixo, uma foto da minha esposa próxima a uma réplica do fóssil de um Tigre de Dentes de Sabre, também em exposição no Museu Nacional da UFRJ. Repare os dentões e a abertura da boca. Enormes!

Smilidon e Thays

3. Macrauquênia (Macrauchenia patachonica)

A macrauquênia possuía 2,6m de altura e era muito semelhante aos atuais dromedários, como os camelos, mas possuía uma pequena tromba, semelhante às dos elefantes.

Macrauchenia

4. Tatu gigante (Pampatherium typicum)

Com 2,6m de comprimento, o Pampatherium foi um dos maiores tatus que já existiu. Viveu há cerca de 11 mil anos na atual Argentina.

Pampatherium typicum

Comecei a exibir hoje na escola esses vídeos sobre a Pré-História do Brasil. Quem ainda não viu ou quem quer ver de novo pode assistir direto no YouTube. É muito legal.

1. Bom dia Brasil, Rede Globo Ossadas de animais gigantescos são descobertas no sertão do Piauí.

2. Jornal do SBT. Fóssil de preguiça gigante é encontrado em Maravilha, Alagoas.

3. Caminhos da Reportagem, TV Brasil. Serra da Capivara e Serra das Confusões.